PARA QUE SERVE A PSICOLOGIA INFANTIL? Por Andréa Mateos – Psicóloga

PARA QUE SERVE A PSICOLOGIA INFANTIL? Por Andréa Mateos – Psicóloga

PSICOLOGIA INFANTIL – PARA QUE SERVE?

Muitas vezes não entendemos nossas crianças, mas percebemos que pode haver algo errado com elas. Algumas vezes você pergunta o que ela tem e ela diz que não é nada, olha para baixo, sai correndo ou simplesmente fica olhando para você sem dizer uma só palavra. Isso pode te apavorar, você pode se sentir a pior mãe do mundo, pois afinal de contas você imagina que deveria conseguir ajudar seu filho em todos os momentos sobre todas as questões. Mas não é bem assim, criança não vem com manual de instruções e sua forma de comunicar que algo não está bem pode ser diferente da forma que os adultos entendem – mesmo porque a maioria das vezes a própria criança não sabe o que está errado, mas sente um desconforto que não compreende.

Esse desconforto pode vir do fato de estar sendo agredida por outras crianças na escola, ou a professora a está ignorando na sala de aula, pode haver algum adulto molestando-a, ela pode estar se sentindo negligenciada em casa mesmo e você não percebe, pois a considera tão “boazinha” e fica feliz por ela brincar horas sozinha.

Timidez pode ser um fator limitante para criança, impedindo de participar de grupos e das atividades da escola. ela pode ser mais sensível e insegura que a maioria e sentir muita falta da mãe mesmo se distanciando por períodos curtos,

Alguns eventos podem ser mais significativos para algumas crianças, sendo importante observar o grau de impacto quando situações mais delicadas, como no caso divorcio, e levar esta criança ao Psicólogo infantil quando necessário.

Cobranças na escola, sentimento referente à necessidade de acompanhar brincadeiras às quais ainda não se sente seguro, brigas em casa, enfim uma série de fatores pode levar uma criança a sentir-se ansiosa. Apesar da possível maior dificuldade em identificar a ansiedade em crianças, devido a maior dificuldade em verbalização, ainda pode ficar atenta a possíveis sintomas e contar com o Psicólogo para uma avaliação.

Observamos cada vez mais crianças com hábitos alimentares influenciados pelo emocional, nestas situações vale atender esta criança com profissionais que conheçam o quadro. Birra: pode ser muito complicado para os pais lidarem e muitas vezes a busca de uma orientação psicológica pode fazer diferença quanto à obtenção de novas formas em compreender e lidar com a birra.

Enfim, a lista das possibilidades do que pode estar acontecendo são enormes, seguem alguns sintomas a serem observados pelos pais: recusar-se a ir à escola repentinamente, chorar em demasia, dificuldade em acompanhar o que é proposto na escola, excesso de necessidade de contato com a mãe ou pai, recusa em estar próximo de uma pessoa específica, agressividade repentina, demora em falar ou andar, xixi na cama, pesadelos, pedidos frequentes para dormir com os pais, etc.

COMO A PSICOLOGIA INFANTIL AJUDA A CRIANÇA

O psicólogo infantil, além de sua vocação para lidar com crianças, trabalha no sentido de oferecer um ambiente onde ela se sinta segura e acolhida. A forma de falar, o tom, as palavras que ele usa são todas elaboradas para criar um ambiente de confiança onde a informação sobre o que se passa com a criança seja colhida da melhor forma possível. Por exemplo, se você perguntar se ele está chorando porque o coleguinha bateu nele é possível que ele responda que sim, mesmo que não seja esse o motivo, pois se alguma vez algum coleguinha já deu algo parecido com tapinha e, ao ouvir esta pergunta, ele poderá lembrar-se deste episódio e pode responderá que chora devido ao coleguinha, mesmo que este tapinha não tenha a nada a ver com o choro atual.

Creio que alguns pais ficam angustiados com a ideia de não conseguir ajudar seus filhos, porém o fato de ter uma compreensão de que um profissional pode dar suporte, já é um início de tratamento. O universo infantil é extenso e complexo, cada caso é um caso totalmente diferente do outro. O que deu certo com o filho do vizinho não significa que dará com o seu. Os sintomas que o coleguinha apresentou podem ter sido originados por problemas muito diferentes do que o seu filho está passando.

A psicologia infantil poderá ajudar esta criança a se restabelecer de forma mais saudável e também poderá orientar os pais para a continuação do processo de melhora em casa.

Fonte – Andréa Aparecida da Silva Mateos      Psicóloga – CRP-PR 08/24245

Telefone –  43    9 9190 5121   Ibiporã

 

QUE CRIANÇA BAGUNCEIRA!! SEU FILHO PODE SER HIPERATIVO! Por Andréa Mateos – Psicóloga

QUE CRIANÇA BAGUNCEIRA!! SEU FILHO PODE SER HIPERATIVO! Por Andréa Mateos – Psicóloga

Quais os Sintomas da Hiperatividade?

Normalmente a desatenção, a hiperatividade e impulsividade são os sintomas mais comuns da Hiperatividade. Mas existem muitos outros e muitas vezes parecem não estar relacionados.

Os principais sintomas da Hiperatividade são:

Dificuldade em terminar tarefas ou projetos

Facilidade em distrair-se

Dificuldade em concentrar-se

Problemas de organização e disciplina

Super concentração quando a informação e/ou tarefa é interessante ou estimulante.

Inteligência acima da média mas com resultados medíocres na escola ou trabalho.

Dificuldade em planear a médio e longo prazo

Maior facilidade em aprender com ajudas visuais ou através de movimento

Procura constante de novidades e aventuras

Ansiedade

Impulsividade

Inquietude

Criatividade acima da média

Bater com a parte da frente do pé ou calcanhares no chão, cruzar e descruzar as pernas constantemente

Bater com os dedos ou outros objetos como lápis na mesa

Dificuldade em adormecer e sono de fraca qualidade

“Cabeça na Lua”

Falta de tato, dizendo tudo o que vêm à cabeça sem pensar

Mudanças de humor ou disposição repentinas

Hiperatividade

Tiques nervosos principalmente nas pernas à noite na cama

Os sintomas da Hiperatividade são mais visíveis:

Durante a tarde e noite

Quando as tarefas são mais exigentes e complexas

Quando a informação ou tarefa são pouco interessantes ou estimulantes

Quando as situações exigem um comportamento mais controlado durante um espaço de tempo como um jantar num restaurante, uma reunião, uma conferência, uma aula ou igreja.

Outros sintomas da Hiperatividade menos explorados mas que ajudam ao correto diagnóstico

Apesar dos sintomas mais notórios serem responsabilidade do cérebro outras partes do corpo humano têm um papel importante na Hiperatividade.

O pescoço, a coluna, sistema imunitário, sistema digestivo e o sistema urinário estão envolvidos na Hiperatividade.

Por isso é que muitas crianças e adultos com Hiperatividade têm:

Problemas respiratórios como bronquite e asma

Má postura física

Um andar descoordenado ou desengonçado

Tendência para tropeçar, ir contra coisas, quedas e acidentes

Pouca habilidade com trabalhos ou atividades manuais

Fazer xixi na cama com uma idade avançada, muitas vezes com 8 e 9 anos

Quando as situações exigem um comportamento mais controlado durante um espaço de tempo como um jantar num restaurante, uma reunião, uma conferência, uma aula ou igreja.

Saiba Quais os Tratamentos Mais Eficazes Para a Hiperatividade

Os Tratamentos da Hiperatividade Mais Eficazes Englobam:

Teste e diagnósticos para ter a certeza da existência da Hiperatividade

Informação & Educação

Descobrir e aprender o que é na realidade a Hiperatividade e como nos afeta na vida familiar, social e profissional

Acompanhamento Regular

Disponibilidade e acompanhamento para esclarecer dúvidas, resolver desafios, ultrapassar frustrações e não deixar desviar do caminho certo

Exercícios Mentais & Jogos Específicos

Exercícios mentais para ajudar a sincronizar e desenvolver as áreas que funcionam menos bem no cérebro

Exercícios Físicos Específicos

O cérebro e o resto do corpo são extremamente dependentes um do outro. Deverá utilizar o corpo humano (exercício físico específico) para ajudar a desenvolver as partes sub-desenvolvidas do cérebro

Estratégias e condições adotadas à pessoa e ao seu Ambiente

Criação e implementação de estratégias para lidar com ambientes e situações sobre as quais não temos controlo total. Modificação do ambiente (casa, local de trabalho e processos) de forma a aumentar a produtividade e reduzir conflitos e atrito

Fonte – Andréa Mateos – Psicóloga – C.R.P – 08/24245    Atendimento á crianças,adolescentes e adultos – Rua Padre Vitoriano Valente 450 sala 03  Fone/ Whatsupp – 43 9 9190 5121